As mudanças positivas que fiz esse ano

Sabe quando você ouve aquela musiquinha que fala “Então é Natal… e o que você fez?” e começa a te dar um desespero porque você percebe que o ano já está acabando e você pensa que não fez nada nos últimos 300 e tantos dias? Pois é. Eu te entendo. Essa época de Natal-Ano-Novo é minha favorita – sempre foi -, mas nos últimos anos ela vem carregada de uma sensação de que eu não fiz o suficiente no ano. Como se o mundo fosse acabar se eu não riscasse todos os itens da minha infinita lista de coisas a fazer até 31 de dezembro. Bobagem da minha cabeça, eu sei, por isso esse ano, ao ouvir a famosa música natalina, eu me propus a refletir sobre as mudanças positivas que fiz nos últimos 11 meses e tanto.

Não foi uma tarefa fácil, eu admito, até porque meu primeiro instinto é de pensar que eu sou exatamente igual à Tatyanna de primeiro de janeiro. Não que eu seja uma pessoa completamente diferente, mas eu definitivamente cresci e mudei nesse meio tempo. O meu segundo instinto é focar nas mudanças “negativas” que eu fiz esse ano. Pensei imediatamente em como “abandonei” o blog, como fiquei desleixada com meu cabelo, como emagreci mesmo tentando engordar… A lista continua. Tive que chutar meus primeiros instintos pra longe e realmente focar no lado positivo. Vou compartilhar com você algumas dessas mudanças.

mudanças

Comecei a fazer pilates

Mais ou menos no meio do ano eu parei de fazer academia com um personal e comecei a fazer pilates em um estúdio. Já tinha ouvido coisas maravilhosas do pilates, então estava animada para começar. No final das contas, entramos eu, minha mãe e meu pai no mesmo estúdio e estamos amando! Além do pilates ser um ótimo exercício físico, ele melhora minha flexibilidade, minha postura, minha respiração… Sem contar que, independente do quão estressada eu esteja, eu sempre saio de lá mais calma e contente.

Aprendi a gostar de salada

Queria poder dizer que eu mudei completamente minha alimentação, mas isso não seria verdade. Comecei o acompanhamento com a nutricionista, mas ainda não consegui seguir a dieta direitinho. Uma resultado positivo, no entanto, foi o fato de eu ter aprendido a gostar de salada. Anos atrás isso era impensável pra mim. Eu poderia até comer (obrigada) uma verdurinha aqui ou ali, mas realmente apreciar?! Jamais. Até que eu comecei a incorporar um alfacezinho aqui, uma beterrabinha ali… e pronto! Muitas vezes eu até sinto falta da salada, se por acaso não tiver. Agora só falta isso acontecer com o feijão, o peixe, o arroz integral, a batata doce…

Comecei meu bullet journal

Não sei se já falei sobre isso por aqui, mas em março eu comecei meu amado Bullet Journal. Finalmente arranjei uma técnica que me ajuda de verdade a ser mais organizada. Já tentei vários métodos e o bullet journal foi o único que funcionou. Em breve eu compartilharei um vídeo sobre como eu monto o meu BuJo, então fiquem ligados no meu canal!

Comecei a falar mais em público

Quem me conhece, sabe que eu tenho pavor de falar em público. Sempre tive. Virou até um dos meus gatilhos para crises de ansiedade. Nos últimos anos, a faculdade “me forçou” a melhorar esse aspecto da minha vida e, apesar de ter conseguido aprender técnicas para disfarçar o nervosismo, não achava que tinha feito muito progresso… até chegar esse semestre. Estou no último semestre da faculdade e nunca tive tantas apresentações/seminários quanto nesses últimos meses. No começo eu tinha ficado bem nervosa com a possibilidade de ter que falar tanto em público, mas depois foi crescendo um sentimento de “o que eu tenho a perder com isso?” e eu fui ficando bem mais tranquila.

Por incrível que pareça, estou fazendo várias aulas com calouros de outros cursos. Por algum motivo, apresentar na frente de pessoas que eu não tenho muito contato me deu mais confiança. Meu medo de falar em público diminuiu consideravelmente, apesar de ainda estar aqui. Comecei então até a participar mais nas aulas (coisa que eu fazia pouco) e receber elogios de várias pessoas por isso. Eu sei que pode parecer pouco para algumas pessoas, mas confesso que estou orgulhosa de mim mesma com o progresso que fiz, mesmo que tenha o feito tarde na minha graduação.

“Reativei” meu canal no Youtube

Depois de ganhar mais confiança pra falar em público, resolvi fazer algo que eu sempre quis mas tinha receio: voltar com meu canal no Youtube. Uma das mudanças que eu tive que fazer para que isso acontecesse foi tirar a pressão (que eu mesma colocava) de ter o vídeo perfeito com a qualidade perfeita. Claro que eu sempre vou querer fazer um conteúdo de qualidade, mas o importante foi perceber que a perfeição realmente não existe. Foi colocar na minha cabeça que seria legal se eu tivesse um microfone bom e um conjunto de luzes profissional, mas que isso não deveria me impedir de gravar e publicar vídeos. Confesso que eu ainda estou lenta na postagem dos vídeos – culpo minha internet por isso – mas estou muito animada para criar conteúdo pra essa plataforma!


Como eu sei que o ano só acaba quando termina (hehe), acredito que ainda dá tempo de fazer algumas outras mudanças na minha vida. Um exemplo disso é um desafio que eu fiz a mim mesma no começo desse mês: o de meditar todos os dias (pelo menos até minhas aulas acabarem). Quero tornar disso um hábito, então fiz esse desafio pra mim mesma e estou compartilhando minha “jornada” lá no meu insta stories. Aproveito para te convidar a tirar alguns minutinhos do seu dia para meditar e sair dessa correria das nossas rotinas diárias.

Agora quero saber de você: qual foi a melhor coisa que você fez para você mesma esse ano?

Author: Tatyanna Gois

Tatyanna Gois é brasiliense, tem 22 anos e prefere ser chamada de Taty. Cursa Relações Internacionais mas ama fotografia, maquiagens e um bom café coado. É viciada em internet e não vive sem o celular na mão. Ela é daquelas sonhadoras incuráveis, que colocam um pouco do seu coração em tudo que decidem fazer. ♡

Deixe um comentário!