As Pirâmides de Teotihuacán | Taty en MX

Depois de muito tempo deliberando como eu faria os posts do #TatyenMX, finalmente encontrei um formato que eu gostasse. Farei alguns posts com compilados de lugares para visitar, lugares para comprar e lugares para comer. Além disso, farei posts individuais sobre os passeios mais legais que fiz! Em todos esses posts eu contarei minha experiência e darei dicas, mas também farei um post especial só de dicas para quem pensa em viajar pro México! O primeiro post “de verdade” dessa série vai falar sobre um dos lugares que eu mais gostei de visitar: as Pirâmides de Teotihuacán.

Teotihuacan Teotihuacan

O sítio arqueológico de Teotihuacán, também chamado de Cidade dos Deuses, é uma das coisas mais impressionantes que eu já tive a oportunidade de ver na vida! Ele fica a uns 50 km da Cidade do México, é Patrimônio Mundial da UNESCO e, na minha opinião, deveria ser parada obrigatória pra todo mundo que visita o país. Nele estão localizadas as Pirâmides do Sol e da Lua, a Avenida dos Mortos, a Cidadela, o Templo de Quetzalcóatl, o Palácio de Quetzalpapálotl, entre outros edifícios piramidais impressionantes.

Há muitas dúvidas em relação a origem e a decaída de Teotihuacán, assim como o povo (ou os povos) que habitavam a região. Acredita-se que a cidade tenha sido estabelecida em meados de 100 a.C. e seu apogeu tenha acontecido em meados da primeira metade do primeiro milênio d.C., quando ela provavelmente deve ter sido a 6ª maior cidade do mundo.

Para mim, é incrível ler mais e conhecer mais sobre a cultura desses povos, mas o mais fascinante é poder ver com os próprios olhos tudo aquilo e imaginar como era a vida naquela época. Nenhuma foto que eu tirei consegue transmitir como aquele lugar é grandioso, esplêndido, magnífico. Quando eu parei na frente da Pirâmide do Sol – a construção mais alta ali – senti um misto de admiração, felicidade, gratidão e paz. Sem falar, claro, no desespero ao pensar que nunca que eu conseguiria subir aqueles duzentos-e-tantos degraus naquele calor e naquela secura.

A Pirâmide do Sol

Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan

A Pirâmide do Sol é a terceira maior pirâmide do mundo, atrás apenas da Pirâmide de Cholula (que é a maior do mundo em extensão, também fica no México e será assunto de outro post) e a Pirâmide de Quéops (que é a maior do mundo em altura e fica no Egito). As pirâmides mesoamericanas, diferentemente das egípcias, não possuem túneis ou passagens secretas no seu interior. Elas são maçicas e não serviam de cemitério para seus governantes, mas sim de templo.

Confesso que foi um desafio e tanto conseguir subir todos aqueles degraus. Como aquela região fica a mais de 2000km acima do nível do mar, o ar fica um pouco rarefeito. Você perde o fôlego rápido e parece que você nunca consegue encher seu pulmão direito. Além disso, estava muito calor, mesmo estando no inverno. O meu namorado já tinha ido lá antes, então fui preparada: água e biscoitinhos na mochila, boné do Indiana Jones na cabeça, óculos e protetor solar no rosto, tênis confortáveis nos pés e um café da manhã reforçado na barriga. Claro, sem contar na câmera gigantesca no meu pescoço. Basicamente eu estava o perfeito esteriótipo da turista – só me faltava a camisa florida! Haha!

Como eu disse, subir aqueles degraus foi difícil. Tive que fazer várias paradas para poder recuperar o fôlego e descansar as pernas. No final das contas, tudo valeu a pena quando eu vi aquela vista. É surreal, algo que eu nunca pensei que veria na vida. Sentada no topo da Pirâmide do Sol, olhando na direção da Pirâmide da Lua, senti-me extremamente grata por estar ali, viva, tendo a oportunidade de ver aquilo com meus próprios olhos.

Pirâmide da Lua e Avenida dos Mortos

Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan

A Pirâmide da Lua é menor que a Pirâmide do Sol, mas não menos impressionante. Ela fica ao final da Avenida dos Mortos, onde ficam várias mini pirâmides. Na minha opinião, ela tem a melhor vista de todo o sítio arqueológico! Depois de subir (e descer) a Pirâmide do Sol, pensei que nunca mais conseguiria subir um degrau na vida! Eu estava exausta, mas consegui subir a Pirâmide da Lua direitinho.

Cidadela, Templo de Quetzalcóatl e  Palácio de Quetzalpapálotl

Teotihuacan Teotihuacan Teotihuacan

A Cidadela fica no topo sul da Avenida dos Mortos e acredita-se que lá viviam os governantes e sacerdotes. Ali também fica o Templo de Quetzalcóatl, onde podemos ver vários mosaicos de pedra que representavam os deuses toltecas.

Teotihuacan

O Palácio de Quetzalpapálotl provavelmente era um dos edifícios mais importantes da época. Nele podemos ver murais coloridos ainda bem preservados, a maioria na cor vermelha.

Eu recomendo muito visitar o sítio arqueológico de Teotihuacan se vocês forem ao México! É uma experiência única na vida! Para chegar lá, dá para contratar uma van turística, alugar um carro ou pedir um taxi. O ingresso custou 70 pesos mexicanos, o que na época deu um pouco mais de 10 reais. O Museu de Antropologia da Cidade do México (que também falarei em outro post) tem uma sessão especial sobre Teotihuacan, incluindo “miniaturas” do sítio arqueológico, artesanato e mais, o que te faz entender melhor como aqueles povos viviam.


Espero que tenham gostado do primeiro post dessa série sobre o México! Não hesitem em comentar se tiverem alguma dúvida ou observação.

Author: Tatyanna Gois

Tatyanna Gois é brasiliense, tem 22 anos e prefere ser chamada de Taty. Cursa Relações Internacionais mas ama fotografia, maquiagens e um bom café coado. É viciada em internet e não vive sem o celular na mão. Ela é daquelas sonhadoras incuráveis, que colocam um pouco do seu coração em tudo que decidem fazer. ♡

Deixe um comentário!