Entrevista com intercambista: Daniele Miranda

Parece que vocês estão gostando dessas “entrevistas” que eu to fazendo com os intercambistas, né? Eu to adorando entrevistá-los e conhecer um pouco mais sobre eles e sobre os lugares que eles estão! A entrevistada de hoje é a Daniele Miranda, uma amiga minha que está no final do intercâmbio dela de um ano para Dublin, na Irlanda!

Um pouco mais sobre a Daniele…

intercâmbio na IrlandaMeu nome é Daniele, eu tenho 21 anos, sou de Brasília e estudo Engenharia Civil na UnB. Em julho de 2015, quando tinha acabado de terminar o 7o semestre na UnB, eu vim estudar em Dublin pelo Ciência sem Fronteiras para fazer 1 ano do curso no Dublin Institute of Technology.

Por que você escolheu fazer intercâmbio na Irlanda?
Quando fui me inscrever no CsF meu primeiro critério era de que eu queria vir para a Europa. Tinha a opção de ir para os EUA também, mas como eu já tinha feito um curso de verão lá, achei que seria melhor conhecer um lugar novo, um sistema de ensino diferente, outras culturas. O segundo critério era o idioma: não eram muitos os países da Europa que aceitavam inglês como proficiência. Por fim, eu tinha alguns amigos que tinham feito intercâmbio pra Irlanda e me recomendaram bastante. Parecia ser um lugar bem agradável de viver, sem temperaturas muito extremas, nem muito frio nem muito calor. Também não tinha o custo de vida altíssimo do UK. E assim eu decidi vir pra terra dos leprechauns!

intercâmbio na Irlanda

Como é viver ai? O custo de vida é muito alto na cidade/país em que está?
A Irlanda é um país bem pequeno (tem 1/3 do tamanho do Goiás) e mais ou menos 6 milhões de habitantes (e 8 milhões de ovelhas!). Dublin é a capital e a maior cidade, com 2 milhões de habitantes, e é uma cidade com muitos imigrantes e, principalmente, muitos jovens e estudantes. Aqui não faz muito frio: no inverno fica em média 4° C e é bem raro nevar (nos últimos 10 meses nevou uma vez só, bem rapidinho). Também não faz muito calor, no verão não passa dos 18°C ou 20°C. O maior problema aqui é a chuva: chove quase todo dia, em todas as estações! Tem um ditado que diz “oba, verão na Irlanda, agora a chuva fica menos gelada”.

Eu moro num condomínio estudantil com vários outros intercambistas do CsF (o que dificulta um pouco a treinar o inglês). A acomodação fica em um bairro residencial super bonitinho a 8km do centro. Eu vou pra faculdade de ônibus, que é bem caro aqui na Irlanda, 2,50€ por passagem (cerca de 10 reais!!). Com a carteirinha de estudante eu gasto 80€ por mês por transporte público ilimitado, o que eu acho bastante caro, pra ser sincera. Meus amigos mais fitness preferiram comprar uma bicicleta quando chegaram aqui por 100€ e levam mais um menos 30min até o centro da cidade. Como me falta condicionamento físico, eu opto por pagar o ônibus mesmo kkkk. Apesar de caro, o transporte público é sensacional: todos os ônibus têm 2 andares, wifi e você pode conferir o horário deles por um app no celular (que sempre funciona).

intercâmbio na Irlanda

Eu tenho aula na faculdade só de segunda a quinta, com mais ou menos metade da carga horária que eu tinha no Brasil. Eu almoço geralmente na faculdade, onde a comida é mais barata: com 5€ dá pra fazer uma refeição de sanduíche e suco por exemplo. É difícil almoçar nos restaurantes do centro com menos de 10-12€ por pessoa. Também é difícil achar uma refeição que não tenha batatas, a comida favorita dos irlandeses. Eu já vi eles servirem batata frita, batata assada e purê em um mesmo prato, hahaha.

O lazer clássico de Dublin é ir pro pub, obviamente. Tem um pub em cada esquina nessa cidade. Sorte a minha que não gosto de cerveja pra não precisar pagar 6€ (24 reais!!) numa pint de Guinness.

Somando com compras de mercado, lavanderia e celular (80€, 20€ e 20€, respectivamente, por mês) dá pra viver uma vida bem confortável com 400€ por mês (sem contar o aluguel), sem muitos luxos mas sem precisar comer miojo todo dia também haha.

intercâmbio na Irlanda

Você já sabia falar a língua antes de ir?
Eu já tinha experiência com o inglês americano e precisei fazer o TOEFL pra ser aceita na universidade aqui. O problema é que eu não contava com o sotaque irlandês que, apesar de lindo, é muito difícil de pegar no começo. Até hoje, depois de 10 meses aqui eu tenho dificuldade de entender um irlandês falando rápido. Além disso, eles têm umas gírias muito diferentes, por exemplo “what’s the craic?” que é um “how are you?” na Irlanda. Eu demorei um pouco pra me acostumar com o vocabulário, mas uns 2 meses depois de chegar eu já estava craque.

A outra língua oficial da Irlanda é o irlandês, ou gaélico. Todas as crianças daqui aprendem a falar irlandês na escola e as placas na rua são todas escritas em inglês com tradução em irlandês. Mas é só uma questão de manter a tradição e não deixar a língua morrer, porque na prática todo mundo fala inglês mesmo. Eu tentei aprender irlandês pelo Duolingo mas é muito difícil e diferente, eu não passei do “go raibh maith agat” = “obrigada!”.

intercâmbio na Irlanda

O que você mais gosta da cidade/país que está?
Ahh são tantas coisas! A cidade é muito aconchegante, algumas partes têm um ar “medieval” com as construções de pedra e as ruas estreitinhas, enquanto outras também são bem modernas. Eu gosto muito de simplesmente passear pelo centro, é muito agradável andar por Dublin.

Mas acho que a maior vantagem de Dublin para os intercambistas é a quantidade de imigrantes que moram aqui. Você nunca se sente deslocado, “diferente”, por ser de outro país já que metade das pessoas do seu círculo social também são de outros lugares. Na minha turma da faculdade, por exemplo, das 23 pessoas, 10 são brasileiros do CsF, 7 são irlandeses, 2 da Alemanha, 1 da Coreia do Sul, 1 da França, 1 de Omã e 1 da Lituânia. E é assim em todo lugar que você vai.

Além disso, os irlandeses são super tranquilos com os imigrantes, eu nunca passei por nenhum tipo de xenofobia ou essas coisas que a gente ouve falar que acontecem com os brasileiros no exterior.

Teve alguma diferença cultural entre o Brasil e a Irlanda que te deixou surpresa?
Assim que eu cheguei, o que mais me impressionou foi o quão cedo as lojas fecham. Às 17h praticamente todo o comércio já fechou! E mesmo restaurantes e pubs param de servir comida bem cedo também, por volta das 21h as cozinhas já fecharam! Não existe nada que funcione 24h nessa cidade, até as farmácias “open-late” fecham às 21h.

Outra coisa que eu achei interessante é a influência dos costumes católicos até hoje. Meninos e meninas vão pra escolas separadas desde o jardim de infância até o ensino médio! De vez em quando a gente vê escolas mistas, mas é bem raro

intercâmbio na Irlanda

Você foi para outras cidades/países que não o que você está morando?
Aqui na Irlanda eu só conheci mais uma cidade chamada Wicklow, que é bem diferente de Dublin. Wicklow é uma cidadezinha de interior, com aquelas paisagens verdes e várias ovelhinhas. Eu queria conhecer mais lugares na Irlanda, mas é muito caro viajar pela ilha. Uma passagem de trem para uma das cidades grandes, por exemplo Galway, fica em torno de 30€ ida e volta. Para comparação, uma passagem de avião Dublin-Londres ou Dublin-Liverpool eu encontro por menos de 20€ ida e volta!

Do resto da Europa, eu conheci várias cidades espalhadas pelo Reino Unido, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Espanha, França, Itália, Grécia, Alemanha, o Leste Europeu… A distribuição do ano letivo torna bem fácil viajar: como eu só tenho aula de segunda a quinta pude fazer várias viagens de final de semana. Além disso, existem vários recessos no meio do semestre (o recesso de páscoa dura 2 semanas; antes de cada bateria de provas tem 1 semana de recesso também).

intercâmbio na Irlanda

Qual é a coisa mais difícil de fazer um intercâmbio?
O mais difícil, de longe, é ficar sozinho. Claro que você acaba fazendo uns amigos eventualmente, mas não acontece tão rápido. E as primeiras semanas são realmente bem difíceis, você tem vontade de ligar pras pessoas no Brasil o tempo todo, de contar o que você tá fazendo, etc. Dá aquela vontade de desistir e voltar pra casa… E mesmo depois de uns meses, quando você se acostuma no geral, sempre tem um ou outro dia ruim que bate tudo isso de novo.

No mais, tem a dificuldade de ter uma rotina completamente diferente da sua no Brasil né. Acomodação estudantil não tem os mesmos luxos de casa. Onde eu moro, por exemplo, não tem televisão, nem micro-ondas, nem liquidificador, nem batedeira. Eu tô há 10 meses me virando sem essas coisas. Você divide cozinha com outras pessoas, suas compras semanais têm que caber em 1 só prateleira da geladeira, você não pode sujar louça e deixar pra lavar “daqui a pouquinho”. Também é bem difícil esperar do seus roomates essas regras de boa convivência.

intercâmbio na Irlanda

E qual é a melhor parte de fazer um intercâmbio?
Uma das melhores coisas que eu achei desse intercâmbio foi acabar com a ilusão que eu tinha de que “país de primeiro mundo é outra coisa” e de que “no Brasil nada funciona direito”. Eu descobri que nem toda universidade europeia é coisa de outro mundo, e que a UnB é comparável e, em certos aspectos, é até melhor do que a universidade daqui. Outra coisa: existe mendigo no Brasil, mas também existe em Dublin. E em Paris. E em Berlim. Todo lugar tem esses problemas. Além disso, a gente percebe que não tá muito longe do Brasil ser um lugar melhor. Por exemplo, aqui todo ônibus tem WiFi. O que falta pra isso acontecer no Brasil também? Acho que essa mudança de visão de mundo é uma das coisas mais gratificantes de um intercâmbio.

intercâmbio na Irlanda

Como você lida com a saudade?
Minha mãe até hoje não me deixa passar um dia sem falar com ela, haha (um patrocínio do Skype/Facetime). Além disso, eu vivo mandando fotos do meu dia-a-dia pra minha família, isso ajuda um pouco a sensação de eles estarem mais próximos, participando da minha vida, etc.

Foi/é difícil fazer amigos no país que você está? 
Mais ou menos… Antes de vir pra cá eu achei que ia ter vários amigos irlandeses e talvez intercambistas de outros países, mas na verdade eu só tenho amigos brasileiros mesmo. Isso acontece muito porque eu divido apartamento com mais 3 brasileiros, e quase todos os apartamentos do meu prédio são de brasileiros também. Na minha turma na faculdade eu até tentei fazer amizade com os irlandeses e os outros intercambistas, mas apesar de serem simpáticos eles são bem fechados nos grupos deles.

intercâmbio na Irlanda

Tem alguma dica para futuros intercambistas?
Com relação a Dublin, eu deixo a dica de que aqui é um ótimo lugar pra intercambistas brasileiros, tanto pra quem quer trabalhar quanto pra quem quer estudar e aprimorar o inglês. Vocês vão se sentir muito bem recebidos e ainda vão ficar com esse sotaque lindo de inglês da Irlanda.

Pro intercâmbio em geral, eu recomendo muito planejamento. Verifique todos os detalhes da sua acomodação, de como você vai se locomover na cidade pra onde vai… Como eu disse, transporte público costuma ser bem caro no exterior. Será que não vale a pena uma acomodação perto da faculdade/do centro? Você vai dividir quarto? Conhece seu roomate? São esses vários detalhes que fazem diferença na qualidade do seu intercâmbio e, por isso, pesquisar e planejar bem é essencial.

___

Um dos lugares que eu mais quero visitar na vida é a Irlanda! Me arrependo até hoje de não ter dado um pulinho lá enquanto eu tava na Inglaterra. Lembro que fui comemorar o St Patrick’s Day em Londres e alguns caras pensaram que eu era irlandesa! Haha! Também, com essa pele pálida e o cabelo ruivo… eu me camuflaria bem entre os locais.

E ai, o que acharam da entrevista? Eu adorei saber um pouco mais do intercâmbio da Dani e dos costumes irlandeses! Curiosidade: a Dani foi comigo para Washington com o Brasília sem Fronteiras! Desde lá eu lembro dela falando sobre o possível intercâmbio dela pelo CsF. É legal ver que tudo se concretizou  🙂

Se tiverem alguma pergunta sobre o intercâmbio da Dani, intercâmbio na Irlanda ou sobre intercâmbios em geral, podem falar nos comentários que a Dani ficará à disposição para respondê-la! Além disso, não deixem de segui-la nas suas redes sociais para acompanhar o intercâmbio dela de perto: instagram, twitter e snapchat (danii_fm).

Author: Tatyanna Gois

Tatyanna Gois é brasiliense, tem 22 anos e prefere ser chamada de Taty. Cursa Relações Internacionais mas ama fotografia, maquiagens e um bom café coado. É viciada em internet e não vive sem o celular na mão. Ela é daquelas sonhadoras incuráveis, que colocam um pouco do seu coração em tudo que decidem fazer. ♡

Deixe um comentário!

  • Parabens pela bela entrevista Dani,

    Este intercambio cultural que você está participando na Irlanda será de grande
    utilidade em sua vida profissional futura.
    Seu tio tem muito orgulho de vc e tambem dos seus pais, que não medem esforços
    para lhe propiciar o melhor em conhecimento e cultura.
    Um grande abraço do tio Osiris