Viajando para a Cidade do México | Taty en MX

¡Hola chicos! Este post está sendo escrito diretamente da Cidade do México! Resolvi escrever para vocês rapidinho para avisar que eu vou fazer uma série de posts contando sobre tudo que eu conheci aqui no nesse país incrível. Meio que como um diário de viagem + um guia do México (principalmente da capital, onde ficarei a maior parte dos dias). Podem esperar recomendações de lugares para comer, visitar e fazer compras, além de curiosidades em geral sobre a cultura mexicana! Para esse post não ficar tão curtinho, vou contar como foi a minha jornada até chegar na Cidade do México.

Cidade do México

Preciso começar confessando que nunca antes havia pensado em ir para a Cidade do México. Na verdade, não conhecia muito sobre a cultura mexicana (os meus colegas internacionalistas devem estar incrédulos, eu sei). Foi só quando soube que os pais do meu namorado iriam se mudar por um tempo para lá que comecei a me interessar mais pela cidade. A partir daí, fiquei sabendo (por eles e pela internet) de várias coisas interessantes sobre esse país até então pouco conhecido por mim.

Meu namorado viajou antes de mim, para passar o Natal com a família. Ele me falara várias coisas boas sobre a cidade, o que só aumentou minha animação. Trabalhei até o dia da minha viagem e, como meus pais também haviam viajado, arrumar as malas, a casa e os documentos foi um pouco estressante. Acho engraçado como a gente fica com vontade de resolver o mundo antes de viajar. Como se tivéssemos comprado passagem só de ida, como se nada pudesse esperar, como se o mundo fosse cair aos pedaços se não resolvêssemos tudo de pendente para resolver.

Enfim. Eu estava um tiquinho estressada e um tanto ansiosa quando cheguei no aeroporto de Brasília. Eu faria muitos voos (todos eles sozinha) até chegar no destino final, então preparei todo tipo de entretenimento possível para quando estivesse dentro e fora do avião. Tinha livros para ler, filmes e séries para assistir, música para escutar, posts para escrever… No final das contas, acabei só lendo um pouquinho do livro “Pela Janela” da Martha Medeiros (tô achando ele maravilhoso!) porque dormi em praticamente todos os voos. Ainda bem!

Meu itinerário era: Brasília > Manaus > Miami (EUA) > Cidade do México (MX). Ufa! No voo de Brasília para Manaus a minha ansiedade resolver dar as caras e me lembrar que ela me acompanha onde eu for. Na hora da decolagem quase tive um ataque de pânico, mas felizmente consegui controlar antes que o pior acontecesse. Geralmente não tenho medo de viajar de avião, mas o estresse + cansaço + ansiedade + a minha fileira que não tinha janela (e me deixou meio claustrofóbica) fizeram o começo da minha viagem ser bem… desafiador. Tirando a parte da decolagem, o resto do voo foi tranquilo.

Cheguei em Manaus impressionada com a temperatura lá fora (29ºC às 23h) e fui direto para sala de embarque. O voo de Manaus para Miami foi um dos melhores e piores da minha vida ao mesmo tempo. Foi maravilhoso porque a comida estava boa, eles entregaram cobertor, eu tinha a fileira toda para mim e a seleção de entretenimento do avião era muito boa. Comi, escutei um pouco de música, assisti metade de um episódio de Westworld e dormi ocupando a fileira inteira. Acordei quando estávamos chegando nos Estados Unidos, pouco antes do piloto anunciar que começaríamos a decolagem. Os 25 minutos seguintes foram uns dos mais dolorosos que já tive na minha vida.

Assim que o avião começou a perder um pouco de altitude, veio uma dor de cabeça tão aguda que eu comecei a me contorcer de dor. Era como se uma veia fosse explodir ou algo assim. Ainda consegui pedir uma aspirina para a aeromoça, mas acho que o remédio não fez efeito a tempo. Comecei a chorar de dor, pensando que certamente minha cabeça explodiria se não chegássemos em terra firme logo. Eu nunca senti uma dor de cabeça tão violenta na minha vida inteira (e olha que eu já tive/tenho enxaqueca!). Depois do que parecia ser uma eternidade, eu finalmente aterrizei e a dor parou. Quase comecei a chorar de novo, só que dessa vez de alívio.

Cheguei nos Estados Unidos e, como eu só estava lá para pegar uma conexão, pulei a parte da entrevista com os agentes da imigração. Hora de esperar para o último voo da jornada (finalmente!). O voo de Miami para Cidade do México foi bem tranquilo. Eu estava exausta e consegui dormir boa parte do tempo, apesar de ficar apreensiva na hora da aterrissagem pensando que eu teria outra dor de cabeça daquelas. Por sorte, não tive.

Cidade do México

Finalmente eu cheguei no México! A moça da imigração me encheu de perguntas (Quem são esses tais pais do seu namorado? No que você trabalha? Quanto dinheiro você trouxe? Que faculdade seu namorado faz? etc). Estava nervosa por causa do meu péssimo espanhol, mas respondi todo o interrogatório e eventualmente fui liberada. Finalmente eu veria o meu namorado (foi só 1 mês e meio longe mas a saudade já estava apertando) e a família dele, que eu não via há uns 6 meses.

__________________________________

O resto da viagem vocês vão saber nos próximos posts! Eu estou super animada para compartilhar com vocês um pouquinho mais dessa viagem que (spoiler alert) já está sendo maravilhosa. Se vocês quiserem acompanhar tudo em tempo real, podem me seguir no instagram e assistir minhas insta stories. Sempre mostro lá um pouco dos lugares que estou.

Se tiverem alguma dúvida ou alguma solicitação de post específico, não esqueçam de me dizer aqui ou no twitter. Espero que estejam gostando e estejam animados para os próximos posts!

Author: Tatyanna Gois

Tatyanna Gois é brasiliense, tem 22 anos e prefere ser chamada de Taty. Cursa Relações Internacionais mas ama fotografia, maquiagens e um bom café coado. É viciada em internet e não vive sem o celular na mão. Ela é daquelas sonhadoras incuráveis, que colocam um pouco do seu coração em tudo que decidem fazer. ♡

Deixe um comentário!

  • tô amando suas fotos no instagram, eu não conheço muito sobre o país, quero muito ver seus posts sobre a viagem <3 e que saco isso da dor de cabeça, hein! 🙁 mas que bom que ela não apareceu de novo depois.

  • Nunca fiz uma viagem internacional mas isso vai mudar esse ano. Confesso que estou tão ansiosa que acho que não conseguirei dormir na noite anterior à viagem. Meu vôo vai ter conexão e já percebi que é bem chato ter que fazer conexão mas né… tudo por um horário de chegada ok, rs.
    Minha viagem será só em agosto e já tive problema com a companhia aérea. Sério, vou tomar todas as precauções possíveis nessa viagem, porque vi que a companhia é meio complicada…
    Que bom que deu tudo certo! Deve estar sendo uma experiência incrível. né? Voltarei aqui pra ver os próximos posts! Aliás, já tem várias janelinhas de posts seus abertas aqui pra eu ler agora 🙂

    • Oi Lilian! Ahhh, boa sorte e boa viagem, querida! Espero que dê tudo certo. A melhor coisa que você faz é se preparar antes (e ficar tranquila caso ocorra algum imprevisto).
      Aqui está sendo incrível! Volto semana que vem mas os posts da viagem ainda continuarão por um bom tempo (tenho muito o que falar haha!). Espero que você goste deles 🙂 Beijos!

  • Taty, estou acompanhando sua viagem , digo, os lugares que está visitando, os passeios com o love, os comentários sobre o México ( deu super vontade de conhecer pelas suas postagens), mas , sobre a trajetória da viagem – desde a arrumação de tudo, as tais conexões, aff, foi como estar no mesmo voo , te vendo em todos os momentos tão bem descritos. Eu também tenho um pouco de pânico de avião , especialmente em voos longos, de turbulência , da decolagem e do pouso- mas vou , entrego a Deus! Fiquei com dó de você com aquela horrível dor de cabeça , na volta se previna!!! Já estou aguardando os próximos posts …

    • Fico feliz que esteja gostando de acompanhar minha viagem, tia! Quando viajamos de avião temos que respirar fundo e entregar a Deus, né? É assim mesmo. Na volta eu já vou estar prevenida pra caso ocorra uma dor de cabeça daquelas, mas espero que ela não venha.
      Beijos!! <3

  • Ah minha querida, a pressão no ouvido deve ter causado a dor de cabeça. Recomenda-se tomar um analgésico meia hora antes do voo pra prevenir. E funciona! Arrumar a mala pelo menos um dia antes da viagem também nos deixa mais tranquila. Quanto á sensaçao de deixar tudo resolvido e sem pendências antes de viajar, também sinto. Gosto, inclusive de arrumar as gavetas, parece que sinto que está tudo em ordem. No mais é relaxar e curtir a viagem! Bjs. Muitas saudades!